"Por que as crianças não devem dormir com os pais?"

É uma pergunta bastante freqüente no consultório e que provoca resistência tanto por parte das crianças quanto dos pais.

O recém-nascido demanda muitos cuidados e atenção, sendo natural que os pais o coloquem para dormir no quarto com eles, o que também facilita na hora de amamentar. É uma fase de dependência total, em que mãe e bebê estão se conhecendo e requer mais observação. A mãe tenta se adaptar as necessidades do bebê, permanecendo inteiramente a sua disposição.

Em torno dos quatro meses, é preferível que o bebê durma em seu próprio berço, em um quarto separado dos pais, para que aos poucos, consiga estabelecer seu sono de maneira tranqüila, permanecendo mais horas sem acordar. Nessa fase, o bebê já consegue esperar um pouco mais, e é importante que a mãe vá diminuindo aos poucos sua disponibilidade. Bebês que dormem com suas mães costumam acordar mais vezes durante a noite para mamar ou para ficar com ela, demorando mais para conseguirem dormir uma noite inteira e para estabelecerem um ritmo de sono mais tranqüilo.

A maioria das crianças passa por uma fase, geralmente entre dois e cinco anos, que quer dormir com seus pais. Para a criança, é muito importante que ela possa dormir em sua própria cama em seu quarto, que pode ser dividido com seus irmãos.

Ela precisa ter um lugar de intimidade, perto de seus objetos, com seu espaço delimitado separado de seus pais. Esse espaço com suas coisas onde dorme enfatiza a idéia de que ela é criança, não adulta e sua posição na família como filha e não como parte de um casal ou no lugar de um dos pais. Para algumas crianças, ao ocupar a cama dos pais, elas também passam a querer dormir tão tarde quanto eles e a se imporem cada vez mais, confundindo os papéis.

Além disso, a criança que dorme com os pais pode pensar que é incapaz de dormir sozinha, o que é prejudicial para sua autonomia e gerar mais dependência em relação a eles. Mais tarde, isso pode atrapalhar na resolução de problemas cotidianos sozinha. A criança se torna mais insegura com dificuldade de enfrentar seus medos.

Muitas vezes, os pais permitem ou até estimulam que a criança durma com eles na cama. Isso está ligado a diversos motivos como, por exemplo, dificuldades de imporem limites, cansaço, culpa por achar que estão rejeitando a criança, pena porque se identificam com ela e se sentem sós ou até para encobrir possíveis problemas de relacionamento do casal.

É muito complicado também quando os pais não conseguem se posicionar e não estabelecem regras claras, oras permitindo e oras recusando.

Também é muito comum nessa fase a criança procurar a cama dos pais no meio da noite por causa de pesadelos. Nesses momentos, é muito importante poder tranqüilizá-la, acompanhá-la até sua cama e ficar com ela até adormecer. Essa atitude passa para criança confiança de que ela consegue dormir sozinha. Se nessas situações acontecer da criança dormir com os pais, não tem problema, desde que estes estejam atentos a seu papel de ajudá-la a lidar aos poucos com esses medos sozinha e a dormir na própria cama.

Poder dormir sozinha significa que a criança está se tornando mais autônoma e independente emocionalmente, que começa a lidar com seus sentimentos de agressividade e que se sente segura mesmo estando distante de seus pais.


*É proibida a reprodução do texto publicado nesta página, no todo ou em parte, sem autorização escrita da autora, sujeito às penalidades previstas na Lei 9.610/98 de direitos autorais.

Powered by Drupal, an open source content management system